Buscar

Conceitos de Ecologia - Níveis de Organização



Em qualquer habitat existe uma escala de organização. Os principais níveis de organização tratados na ecologia são: indivíduos, populações, comunidades, ecossistemas e biosfera. Na passagem de um nível para outro emergem novas propriedades, que caracterizam o nível superior, que é sempre mais complexo que os antecessores.


Indivíduo: cada organismo de determinada espécie - conjunto de organismos semelhantes e que são capazes de criar descendência. Os indivíduos são as entidades dinâmicas que efetivamente sofrem as pressões seletivas do ambiente e que interagem, trocando energia e materiais com o meio (biótico e abiótico). São alguns exemplos das propriedades inerentes aos indivíduos: peso, tamanho, padrão comportamental e taxas metabólicas.


População: grupo de organismos pertencentes a um mesmo grupo taxônomico, geralmente espécie, e que se encontram ocupando um determinado espaço. São atributos exclusivos das populações: densidade populacional, taxas de natalidade, mortalidade, imigração e emigração, estrutura etária, atributos individuais médios etc. Os indivíduos de uma população irão distribuir-se pelo seu habitat de diferentes formas, sendo três tipos básicos de distribuição (ou dispersão): homogênea, agrupada e aleatória.

  • Homogênea ou uniforme: ocorre quando um indivíduo possui uma tendência em evitar o indivíduo mais próximo, havendo um padrão de espaçamento regular entre eles. Assim, indivíduos que ocorrem muito próximos uns dos outros normalmente competem e/ou morrem. Um exemplo dessa dispersão são as plantas que secretam toxinas para inibir o crescimento de indivíduos nas proximidades — um fenômeno chamado alelopatia. Também podemos encontrar essa dispersão em animais territorialistas.

  • Agrupada ou aglutinada: se forma na natureza a partir da tendência exibida pelos organismos de formarem grupos. Dessa forma, os indivíduos juntos podem aumentar suas chances de sobrevivência. É uma característica comum de animais sociais, como abelhas, cupins e formigas.

  • Aleatória ou ao acaso: ocorre quando os organismos possuem a mesma probabilidade de ocupar qualquer ponto do habitat, sem um padrão previsível. Um exemplo de dispersão aleatória são as flores e outras plantas que têm suas sementes dispersas pelo vento e brotam onde caem, desde que o ambiente apresente condições favoráveis.



Imagem modificada de Population distribution por Yerpo, CC BY-SA 4.0; a imagem modificada está sob uma licença CC BY-SA 4.0


Comunidade: conjunto de populações de diferentes espécies que dividem a mesma área geográfica. Nesse nível há um grau variado de interação dos organismos entre si e com outros componentes bióticos ou abióticos. O estudo de comunidades tem como objetivo principalmente descrever a estrutura de diferentes tipos de comunidades e identificar processos ecológicos que explicam tais diferenças. A estrutura da comunidade é usualmente descrita por uma lista das populações componentes, e suas respectivas quantidades (número de indivíduos, área coberta, etc.).

  • Sucessão: processo de mudança direcional das comunidades no tempo após uma alteração drástica.

  • Riqueza: se trata do número de populações (usualmente número de espécies) que compõem a comunidade. Quanto maior a riqueza, maior o número de populações. No geral, observa-se maior riqueza de espécies nos trópicos e menor em ambientes extremos.

  • Diversidade: ou entropia, leva em conta a distribuição das populações e a riqueza, formando comunidades que são medidas em termos de abundância de indivíduos, cobertura, biomassa, etc.. A entropia ou diversidade é máxima quando as populações estão presentes em quantidades iguais, e mínima quando uma população domina quase que completamente a comunidade. Diversidade mais alta = maior complexidade em um sistema, maior estabilidade e menor variabilidade.


Ecossistema: agrega a comunidade, habitat e as relações entre os seres e o meio. Os ecossistemas têm uma componente biótica, que diz respeito aos organismos e às suas relações, e fatores abióticos, como a água, a temperatura e a luz. Cabe ressaltar que os ambientes terrestres e aquáticos são distintos entre si (meio aéreo e aquoso, respectivamente), influenciando a organização biológica e o funcionamento desses dois ambientes. Uma vez que a água apresenta parâmetros físico-químicos diferentes do ar atmosférico, tais como maior viscosidade e densidade, isso gera condições para diferenças na estrutura das comunidades, como nas adaptações morfológicas e nos ciclos de vida dos organismos presentes, na conectividade e transferência de nutrientes, dentre vários outros fatores.


Biosfera: inclui todas as regiões da Terra habitadas por organismos. No nível da Biosfera, os grandes ecossistemas continentais e oceânicos interagem, determinando os padrões macroclimáticos globais, que por sua vez se relacionam com os de diversidade e de produtividade. Esses padrões globais são atributos ou propriedades que não se definem nos níveis de organização mais baixos.


(!) Pontos chaves, para você não esquecer:


  • A distribuição e abundância de organismos na Terra é determinada por fatores bióticos (relativos aos seres vivos) e abióticos ( não vivos / físicos).

  • O escopo da ecologia é muito amplo e pode enfocar praticamente qualquer nível de organização biológica, desde moléculas até a biosfera. Sendo cinco os principais: indivíduos, populações, comunidades, ecossistemas e a biosfera.

  • Esses níveis de estudo da ecologia oferecem diferentes visões sobre como os organismos interagem entre si, com os outros e com o ambiente.


Vamos testar seu conhecimento?


(UEMA, 2020) Do pequeno microrganismo, invisível ao olho nu, às imensas árvores com mais de cem metros de altura, todos os seres vivos dependem não apenas da água, do solo e do ar, mas também dos outros seres vivos. A Ciência que estuda as relações entre os seres vivos, e entre eles e o meio em que vivem, é a Ecologia. Ao adentrar o terreno dessa ciência, há uma sequência natural que obedece a sucessivos níveis de organização da vida.


Analise a imagem, para responder à questão.



Imagem: LOPES, Sonia; ROSSO, Sergio. Biologia. Volume único, 1 ed., São Paulo: Saraiva, 2005. (Adaptado)


Quanto aos níveis de organização dos seres vivos, os nomes dados aos elementos da sequência, ordenados do nível mais simples para o nível mais complexo, respectivamente, são os seguintes:

  1. Ecossistema, comunidade, população, biosfera, organismo.

  2. Biosfera, ecossistema, organismo, população, comunidade.

  3. Comunidade, biosfera, ecossistema, organismo, população.

  4. População, organismo, biosfera, comunidade, ecossistema.

  5. Organismo, população, comunidade, ecossistema, biosfera.

E aí, conseguiu responder essa questão? Se respondeu a letra E, você acertou!! Caso não tenha acertado (ou queira complementar seu estudo), separamos alguns links que podem te ajudar!

Para saber mais: Introdução à Ecologia (video) | Ecologia | Khan Academy

Que tal testar seu conhecimento sobre esse assunto? Lista de Exercícios sobre os níveis de organização em Biologia (uol.com.br) Vídeo aula: (1) Conceitos Básicos da ECOLOGIA | Prof. Paulo Jubilut - YouTube

Texto: Amanda Aparecida Oliveira

Pesquisa: Raphael Martins; Beatriz Prudencio

Texto Instagram: Raphael Martins

Arte: Natália Lavínia A. de Souza


Referências

Khan Academy. O que é ecologia? Disponível em: <https://pt.khanacademy.org/science/biology/ecology/intro-to-ecology/a/what-is-ecology>. Acesso em 17 de julho de 2022.


USP e-disciplinas. Níveis de Organização. Disponível em: <https://edisciplinas.usp.br/mod/book/view.php?id=2438629&chapterid=20707>. Acesso em 17 de julho de 2022.


Pillar, V.D. Ecossistemas, comunidades e populações: conceitos básicos. UFRGS, Departamento de Ecologia (2002). Disponível em: <http://ecoqua.ecologia.ufrgs.br/arquivos/Reprints&Manuscripts/Manuscripts&Misc/SistemasEcol_02Jan02.pdf>. Acesso em 11 de julho de 2022.


UFPB. Ecologia de Populações. Disponível em: <http://portal.virtual.ufpb.br/biologia/novo_site/Biblioteca/Livro_4/1-Ecologia_de_Populacoes_e_Comunidades.pdf>. Acesso em 11 de julho de 2022.


Kato, D.S; Kawasaki C.S; Carvalho L.M. Os significados do conceito de ecossistema para a compreensão do discurso ambiental: análises de livros didáticos do ensino superior de Ecologia (2015). Disponível em: <http://www.abrapecnet.org.br/enpec/x-enpec/anais2015/resumos/R1325-1.PDF>. Acesso em 11 de julho de 2022.

Rosenfield, M.F; Muller, S.C. Ecologia Funcional como ferramenta para planejar e monitorar a restauração ecológica dos ecossistemas (2020). Disponível em: <https://revistas.ufrj.br/index.php/ca/article/download/25178/20832. Acesso em 13 de julho de 2022.


Lanari, M.O; Coutinho, R. Biodiversidade e funcionamento de ecossistemas: síntese de um paradigma e sua expansão em ambientes marinhos (2010). Disponível em: https://revistas.ufrj.br/index.php/oa/article/download/7126/5707. Acesso em 13 de julho de 2022.




3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo