• institutojapi

Dia Nacional da Ciência



O que é ciência? Essa pergunta pode parecer fácil, mas ao contrário do que muitos pensam, a ciência não é algo estático, complexo e cheio de números que só diz respeito a uma pequena parcela da população. A ciência está ao nosso redor e é a forma pela qual interpretamos o mundo. Apesar do conceito já ter mudado várias vezes de forma e função ao longo do tempo, sabemos que, atualmente, a mesma depende do que chamamos de “método científico”. De forma simplificada, o método científico pode ser dividido nas seguintes etapas: observação de um fenômeno; questionamento sobre o acontecimento; criação de uma teoria que explique o ocorrido; teste desta hipótese e por fim, a avaliação dos resultados. Parece complicado,né? Mas na verdade, o método científico pode ser encontrado tanto no nosso dia a dia quanto em ambientes mais formais como laboratórios e universidades.

Mas se a ciência está ao nosso redor, quem pode trabalhar com isso? Quais são as características que não podem faltar num cientista? Mais do que conhecimento sobre um determinado assunto, para ser um cientista é importante ter curiosidade, vontade de aprender, foco, comprometimento, persistência, paciência e acima de tudo, resiliência para encarar as dificuldades e desafios que aparecerão.

Fazer ciência no Brasil não é tarefa fácil. Em pesquisa feita pelo Instituto Japi por meio de suas redes sociais, 100% dos participantes afirmaram ser desafiador exercer a função de cientista no país. Quando questionados sobre os principais desafios, 68,09% afirmaram que o maior deles está nas questões financeiras que permeiam a realização de uma pesquisa científica. Dentre elas foram citadas a falta de verba, a má remuneração dos pesquisadores e até a falta de investimento por parte de instituições privadas. Em segundo lugar, com quase 30%, ficou a falta de incentivo e apoio político por parte dos governantes. Veja só os comentários de alguns cientistas: “Falta de investimento/apoio do governo. A remuneração é quase zero, a categoria é mal representada. Confunde-se trabalho com paixão onde por paixão aceita-se condições absurdas de trabalho.” “O Brasil enfrenta atualmente muitas dificuldades em todos os campos conhecidos, isso é reflexo da falta de investimento no Campo Científico do país, pois só com investimento conseguiremos avançar. O Brasil possui cientistas brilhantes que são mal remunerados, não recebem investimento, e muito menos reconhecimento por suas pesquisas. O que acaba gerando uma enorme desmotivação e êxodo para países onde existe investimento e reconhecimento.”.

Os depoimentos acima, apesar de representarem uma pequena fração do que nos foi relatado, são extremamente pertinentes pois resumem bem a situação pela qual passamos. Em seu artigo, Claudio Battaglini nos conta sua perspectiva sobre os pesquisadores brasileiros quando comparado aos estrangeiros. Segundo ele, frente aos entraves financeiros e burocráticos, principalmente na aquisição de tecnologias e equipamentos do exterior, o cientista brasileiro se vê forçado a ser extremamente criativo e inovar constantemente, demonstrando determinação e perseverança, que são refletidas na alta qualidade das pesquisas.

Para finalizar, também questionamos os participantes com relação ao que poderia ser melhor na ciência brasileira. Não é de se espantar que novamente os assuntos mais abordados foram aqueles envolvendo verbas e investimentos financeiros e apoio e incentivo do governo por meio de políticas públicas. Muito se falou também sobre a educação de base e como ela é fundamental para que a população desde pequena entenda a importância e valor dos cientistas, visto que 97.9% dos participantes não acredita que são valorizados no próprio país. E você? Concorda com os nossos entrevistados? Deixe seu comentário.


Arte: Natália Lavínia A. de Souza. Texto: Flávia de Camargo M. Gomor;


Pesquisa: Daniela Brustolin; Texto Instagram: Aline Freiria dos Reis.

Marcella Pires.


REFERÊNCIAS:


BATTAGLINI, Claudio L. A ciência brasileira: perspectiva de um cientista brasileiro no exterior. Universidade Iguaçu Itaperuna, Brasil . Brazilian Journal of Biomotricity, vol. 3, núm. 4, , pp. 300-301, 2009.


CHIBENI, Silvio S. Algumas observações sobre o “método científico”. Disponível em: https://www.unicamp.br/~chibeni/textosdidaticos/metodocientifico.pdf. Acesso em: 06 de jul. 2021.


LACERDA, Mariana (2021). Você sabe o que é ciência?. Disponível em: http://www.uesb.br/noticias/voce-sabe-o-que-e-ciencia/ . Acesso em: 06 de jul. 2021.


ROQUE, Antônio C. O que é ciência? Disponível em: http://sisne.org/Disciplinas/Grad/EvolConcFis/que-e-ciencia.pdf. Acesso em: 06 jul. 2021.


12 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo